Taxas Euribor a 3, 6 e 12 meses caem depois de três máximos consecutivos

As taxas Euribor desceram esta quinta-feira a três, seis e 12 meses, depois de três sessões consecutivas a subirem para novos máximos desde janeiro de 2009 nos dois prazos mais curtos e desde dezembro de 2008 no prazo mais longo.

A taxa Euribor a seis meses, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação e que entrou em terreno positivo em 6 de junho, baixou hoje, para 2,818 por cento, menos 0,040 pontos, contra 2,858 por cento na quarta-feira, um máximo desde janeiro de 2009.

A média da Euribor a seis meses subiu de 2,321 por cento em novembro para 2,560 por cento em dezembro.

A Euribor a seis meses esteve negativa durante seis anos e sete meses (entre 6 de novembro de 2015 e 3 de junho de 2022).

No mesmo sentido, a Euribor a três meses, que entrou em 14 de julho em terreno positivo pela primeira vez desde abril de 2015, recuou hoje, ao ser fixada em 2,288 por cento, menos 0,010 pontos, contra 2,298 por cento na quarta-feira, um máximo desde janeiro de 2009.

A taxa Euribor a três meses esteve negativa entre 21 de abril de 2015 e 13 de julho último (sete anos e dois meses).

A média da Euribor a três meses subiu de 1,825 por cento em novembro para 2,063 por cento em dezembro.

No prazo de 12 meses, a Euribor também caiu hoje, ao ser fixada em 3,325 por cento, menos 0,045 pontos, contra 3,370 por cento na quarta-feira, um máximo desde dezembro de 2008.

Após ter disparado em 12 de abril para 0,005%, pela primeira vez positiva desde 05 de fevereiro de 2016, a Euribor a 12 meses está em terreno positivo desde 21 de abril.

A média da Euribor a 12 meses avançou de 2,828 por cento em novembro para 3,018 por cento em dezembro.

Leia notícia na íntegra 

Compartilhe nas redes sociais

Benvindo(a) à Radio Manchete. 📻

Ouvir 📻
X