Frente Polisário elege dirigentes e renova objetivos

A reunião da Polisário, movimento de libertação que exige também o reconhecimento como Estado da República Árabe Sarauí Democrática (RASD), é o primeiro desde a violação, por parte de Marrocos, do acordo de cessar-fogo, em 2020, razão pela qual os esforços da organização terão de se concentrar na frente diplomática.

É o primeiro congresso que se realiza após a violação do cessar-fogo pelo exército marroquino e do início da guerra e tem como principal tarefa a mobilização de todas as energias do povo em todas as frentes político-diplomáticas e na guerra pela realização do referendo de autodeterminação, bem como na coordenação das aspirações do povo”, afirmou o representante da Polisário em Portugal, Omar Mih, à agência Lusa.

À partida, segundo Mih, o atual secretário-geral da Polisário, Brahim Ghali, deverá ser reeleito para um terceiro mandato de três anos, pois tudo indica que a Argélia, tradicional aliado da causa sarauí, irá manter o apoio à atual direção, que tem, contudo, sido contestada internamente.

Compartilhe nas redes sociais

Benvindo(a) à Radio Manchete. 📻

Ouvir 📻
X