viktoriia-apanesenk:-da-guerra-para-a-passarela-de-miss-universo

Viktoriia Apanesenk: da guerra para a passarela de Miss Universo

Concurso de beleza é este sábado nos EUA. Representante da Ucrânia vestiu-se de “Guerreira da Luz” e usou traje feito à luz de velas. A sua “rival” russa apresentou um uniforme polémico que alude ao império russo. Telma Madeira, da Póvoa de Varzim, é a candidata portuguesa.

São 84 as candidatas que disputam hoje, sábado, em Nova Orleães, nos Estados Unidos, a coroa da mulher mais bela do mundo. A 71.ª edição do Miss Universo refere-se a 2022 e ainda não se rege pelas novas regras (que passam a aceitar, por exemplo, mulheres divorciadas, casadas ou que tenham filhos), juntando concorrentes com histórias distintas, sob a direção da empresária transgénero tailandesa Jakapong Jakrajutatip, que é a nova dona do concurso.

Anteontem, na competição preliminar, todas desfilaram com trajes típicos dos seus países, destacando-se a Miss Ucrânia que se vestiu de “Guerreira da Luz”.

Viktoriia Apanasenko, de 29 anos, passou mais de 20 horas sem dormir, desde o cenário de guerra até à Polónia, para poder viajar para os Estados Unidos, onde já brilhou com um fato “criado na Ucrânia em quatro meses em condições extremas, ao som de sirenes, sem eletricidade e à luz de velas”.

“O fato simboliza a luta da nossa nação contra a escuridão. Tal como o arcanjo Michael, que defende a Ucrânia com uma espada, e nos protege”, explicou. Na hora de se exibir em biquíni, Viktoriia aproveitou para usar uma capa da criadora Lesia Patoka, fundadora da marca Patoka, onde se destaca a frase: “Be Brave like Ukraine” (sê forte como a Ucrânia).

Um momento muito aplaudido, depois de, nos bastidores, ter sido notada alguma tensão com a candidata russa, Anna Linnikova, de quem, segundo outras participantes, tem evitado estar próxima. A “rival” apresentou-se num traje com referências ao império russo, o que muitos consideraram uma afronta, a par da sua presença nos Estados Unidos, tendo em conta as sanções levantadas ao país de Vladimir Putin por causa da invasão à Ucrânia.

Em competição e sem polémicas, está ainda a portuguesa Telma Madeira, que desfilou, orgulhosa, num traje de Tricana Poveira (Bairro Norte). Natural da Póvoa de Varzim mostrou-se ainda vestida de gala, de fato de banho e com um traje casual.

No top de favoritas à vitória estão as seguintes beldades: Miss Venezuela, Amanda Dudamel; Miss Filipinas, Celeste Cortesi; Miss Itália, Virginia Stablum; Miss Perú, Alessoa Rovegno e a Miss Colômbia, María Fernanda Aristizábal. v

Compartilhe nas redes sociais

Benvindo(a) à Radio Manchete. 📻

Ouvir 📻
X