ao-minuto:-ja-sao-20-mortos-em-dnipro;-declarados-tres-dias-de-luto

AO MINUTO: Já são 20 mortos em Dnipro; Declarados três dias de luto

O dia de sábado ficou marcado pelos vários alertas de ataque aéreo que soaram em diferentes regiões ucranianas, na sequência de um novo conjunto de ataques de mísseis russos que atingiram áreas residenciais e infraestruturas críticas do país.

Em Dnipro, um míssil atingiu um prédio residencial de nove andares, no sábado, que ficou totalmente destruído, deixando centenas de pessoas sem casa e cerca de 1.700 habitantes sem eletricidade e aquecimento. 

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, reagiu ao ataque contra a população civil ucraniana, dizendo que não há persuasão ou tempo que faça parar “os terroristas que estão metodicamente a matar pessoas com mísseis, drones comprados no Irão, a sua própria artilharia, tanques e morteiros” e que “o mundo inteiro sabe o que pode parar e como é possível parar aqueles que semeiam a morte”.

Estes ataques foram realizados pouco depois de o primeiro-ministro britânico, Rishi Sunak, ter anunciado ao seu homólogo ucraniano, Volodymyr Zelensky, que o Reino Unido será a primeira potência ocidental a enviar tanques de primeira linha para Kyiv.

DESTAQUES

Declarados três dias de luto em Dnipro

Daniela Carrilho | há 57 minutos

De acordo com a agência Nexta, na noite de sábado, as autoridades declararam um período de luto de três dias naquela localidade, após o ataque russo que provocou, pelo menos, 20 vítimas mortais.

— NEXTA (@nexta_tv) January 14, 2023

“Noite tensa em Nikopol”. Bombardeamentos afetam infraestruturas críticas

Daniela Carrilho | há 57 minutos

As tropas de Moscovo bombardearam a região de Nikopol, durante a noite de sábado e madrugada de domingo.

“Os russos bombardearam três vezes com artilharia pesada, atingindo três comunidades – Chervonogrihorivska, Marganetska e Nikopolska. Mais de 20 mísseis foram disparados contra cidades e vilas pacíficas”, revelou o governador da região de Dnipro, Valentyn Reznichenko, numa publicação na rede social Telegram.

Em Marganetska, “a linha de energia que alimenta a estação de bombeamento do abastecimento de água local ficou danificada. Mais de 60 mil famílias ficaram sem água”.

Subiu para 20 o número de “vítimas inocentes” em Dnipro

Daniela Carrilho | há 1 hora

O vice-chefe do gabinete do presidente ucraniano, Kyrylo Tymoshenko, e o governador da região de Dnipro, Valentyn Reznichenko, confirmaram que há já 20 vítimas mortais na sequência do ataque míssil russo que, no sábado, atingiu um prédio residencial de nove andares, em Dnipro.

De acordo com Tymoshenko, “até esta manhã, 20 pessoas morreram, incluindo uma criança, 73 pessoas ficaram feridas, 38 pessoas foram resgatadas, incluindo seis crianças – que foram retiradas debaixo dos escombros e das seções destruídas do prédio que não colapsou”.

Já o governador de Dnipro apenas deixou uma nota, numa publicação na rede social Telegram, em referência às mortes – “20 vítimas inocentes”.

Para recordar

Daniela Carrilho | há 1 hora
  • “Intensificar o apoio à Ucrânia”. Sunak vai enviar tanques Challenger 2. O primeiro-ministro britânico, Rishi Sunak, conversou telefonicamente com o presidente Volodymyr Zelensky, este sábado, tendo “o primeiro-ministro destacado a ambição do Reino Unido de intensificar o apoio à Ucrânia, com o fornecimento de tanques Challenger 2 e sistemas de artilharia adicionais”, avança o porta-voz britânico.
  • Turquia quer obter cessar-fogos localizados na Ucrânia. A Turquia quer promover “um cessar-fogo localizado” na Ucrânia enquanto se espera por um acordo de paz mais abrangente, disse um assessor do presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, que considerou que nem a Rússia nem a Ucrânia “estão em condições de vencer militarmente” a guerra.
  • Após ataques, Zelensky pede armas para “parar aqueles que semeiam morte”. Na ótica de Zelensky, não há persuasão ou tempo que faça parar “os terroristas que estão metodicamente a matar pessoas com mísseis, drones comprados no Irão, a sua própria artilharia, tanques e morteiros”, apelando, por isso, ao fornecimento de armas.
  • Podolyak acusa Rússia de querer “matar civis”. O conselheiro presidencial ucraniano acusou a Rússia de ter “a intenção de matar tantos civis quanto o possível”, atirando que a presença do país no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) “é uma vergonha para o mundo inteiro”.
  • As imagens do “terror” em Dnipro. Um vídeo partilhado pelo chefe de Estado, na rede social Facebook, mostra a extensão dos danos. “Encontraremos todos os envolvidos neste terror. Todos serão responsabilizados”, escreveu.  
      

Bom dia

Daniela Carrilho | há 1 hora

Bom dia. Iniciamos este domingo uma nova cobertura AO MINUTO com os principais acontecimentos da guerra na Ucrânia. Pode consultar a cobertura anterior aqui:

AO MINUTO: Rússia quer “matar civis”; Mil desalojados em Dnipro

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre a guerra na Ucrânia.

Notícias ao Minuto | 07:57 – 14/01/2023

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

Compartilhe nas redes sociais

Benvindo(a) à Radio Manchete. 📻

Ouvir 📻
X