filme-madeirense-galardoado-em-festival-de-cinema-na-australia

Filme madeirense galardoado em festival de cinema na Austrália

A cerimónia de entrega de prémios da primeira edição do festival, referente ao ano 2022, realiza-se este sábado, no Palace Chauvel Cinema, em Sydney, e conta com a presença do realizador Francisco Lobo Faria, lê-se num comunicado enviado à Lusa pela produtora de cinema Filmógrafo.

Posso Olhar Por Ti “retrata um grupo de crianças organizado em prol de um objetivo comum e, para o alcançar, desenvolvem a sua veia empreendedora, exploram os seus talentos e capacidades, falham, desentendem-se, mas não desistem”, referiu o comunicado.

Produzida na Madeira, a obra conta com a participação dos jovens atores Martim Lobo, Laura Silva, Francisca Madeira, Tiago Valente, Iago Fernandes, Matilde Gouveia e Eduarda Sousa.

Ainda de acordo com a nota do Filmógrafo, o realizador Francisco Lobo Faria expressou “emoção em poder receber o prémio e agradeceu à equipa do filme pelo seu trabalho dedicado”.

O realizador destacou, além disso “a importância de contar histórias que retratem a realidade dos jovens e ajudam a compreendê-los melhor”.

Com imagem de Carlos Melim, som de Daniel Guiomar, produção executiva de Vanessa Fernandes e montagem de Herman Delegado, “o filme reúne uma extensa lista de técnicos, atores e figurantes originários da Madeira”, realçou o comunicado.

Francisco Lobo Faria é licenciado em Teatro pela Escola Superior de Teatro e Cinema do Instituto Politécnico de Lisboa. Como ator participou em filmes como ‘A Eternidade e um Dia’, ‘Feiticeiro da Calheta’ e a série de televisão ‘Abandonados’. ‘Posso Olhar Por Ti’ é o primeiro trabalho do ator enquanto argumentista e realizador.

O filme teve o apoio do Governo Regional da Madeira, através da Secretaria Regional de Turismo e Cultura, contando também com a participação da Câmara Municipal de Porto Moniz e de diversas entidades públicas e privadas da Madeira.

Numa reação, o secretário regional de Turismo e Cultura, Eduardo Jesus, salientou que o prémio está “a mostrar o quão é importante’ a aposta do Governo Regional ‘na área do cinema, audiovisual e multimédia1”.

Trata-se de “uma oportunidade acrescida de divulgar o trabalho dos madeirenses com outras competências profissionais e, por parte de gerações mais novas, neste caso, num país onde existe uma forte diáspora regional”, disse.

Leia Também: Nuno Borges afastado na primeira ronda do Open da Austrália

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

Compartilhe nas redes sociais

Benvindo(a) à Radio Manchete. 📻

Ouvir 📻
X